A importância do repouso auditivo na realização do exame audiométrico

março 14, 2012

Tenho notado em minha experiência na realização de audiometrias ocupacionais, que jovens têm apresentado alterações auditivas em exames admissionais e demissionais devido ao uso abusivo de fones de ouvido conectados a equipamentos de MP3 e celulares. Ao realizar anamnese, é freqüente ouvir que acabaram de utilizar os fones de ouvido, muitas vezes de forma abusiva. Sugiro então que voltem em 24 horas para retestar a audição e oriento que o façam em repouso auditivo. Na maioria das vezes a audiometria apresenta-se dentro dos padrões de normalidade. Isso acontece, pois não se obedece a recomendação de que o exame deve ser feito em repouso auditivo. Muitas vezes, o que pode ter ocorrido nestes casos é o que chamamos de Mudança temporária de limiar auditivo.

Classifica-se a mudança temporária de limiar auditivo como uma redução do limiar auditivo logo após a exposição a um ruído intenso (shows, bailes, eventos, fones de ouvido). Ela é temporária e pode estar acompanhada de zumbidos e dificuldades para ouvir. A audição tende a voltar ao normal  algumas horas depois de cessado o ruído. A mudança temporária de limiar acontece devido a uma fadiga auditiva e pode atingir principalmente as freqüências altas de 2KHz a 8KHz. Com relação ao uso abusivo de fones de ouvido, pude constatar que a mudança temporária de limiar auditivo ocorre, principalmente, nas freqüências altas de 6KHz e 8KHz quando estes estão expostos a muitas horas, fazendo uso do volume máximo do equipamento sonoro.

Segundo PORTARIA 3214 – NR 7  -  ANEXO I – QUADRO II, 3.6.1.2. O trabalhador deve permanecer em repouso auditivo por um período mínimo de 14 horas até o momento de realização do exame audiométrico.

É fato que há muitos questionamentos com relação ao repouso auditivo de 14 horas para realização de audiometrias do tipo periódico, visto que muitas empresas têm dificuldade em liberar os seus funcionários dos setores de produção para seguir tal recomendação. No entanto, o propósito aqui é enfatizar o repouso auditivo para exames admissionais e demissionais na clínica, já que nestes casos, o funcionário tem mais facilidade de realizar o repouso por estar, na maioria das vezes, desligado do trabalho.

É importante enfatizar que o acúmulo de exposições a ruídos intensos pode transformar a mudança temporária de limiar auditivo em Perda Auditiva induzida por ruído. Esta, por sua vez, é irreversível e só se estabiliza quando cessada a exposição ao ruído repetitivo.

O recomendado é que os departamentos de RH das empresas responsáveis pelos encaminhamentos orientem os seus funcionários a realizar o repouso auditivo de 14 horas antes do exame audiométrico. Desta forma, o funcionário chega preparado para realização do exame, reduzindo assim, o número de resultados insatisfatórios e retestes auditivos.

Fga. Fernanda Nordi


Palestra sobre Saúde Auditiva no Sindicato das Costureiras

julho 29, 2011

No dia 08 de julho  realizamos uma Palestra sobre Saúde Auditiva no Sindicato das Costureiras. Com o auditório lotado pudemos expor questões de fundamental importância acerca da Saúde Auditiva do Trabalhador. O público contou com trabalhadores que exercem funções no ramo da confecção. Entre eles estavam: ajudantes gerais, modelistas, costureiras entre outros.

Ao longo da palestra, abordamos aspectos como: anatomia do aparelho auditivo, noções sobre ruído, conceito e sinais do desenvolvimento da Perda Auditiva Induzida por Ruído, a importância do uso e higiene do equipamento de proteção auditiva (EPA) e a importância da prevenção e detecção da perda auditiva por meio de audiometrias periódicas.

Ao final, pudemos esclarecer dúvidas sobre os temas abordados, além de responder às questões voltadas ao aspecto legislativo, envolvendo os direitos e deveres da empresa e do trabalhador.

A dúvida mais frequente estava relacionada à perda auditiva adquirida durante o período de trabalho na empresa. Como proceder quando isso acontece? Neste caso, esclarecemos que a empresa fica responsável pelas condutas necessárias, como encaminhamento ao ORL e ao médico do trabalho, diagnóstico diferencial para classificá-la como PAIR ou não PAIR, além de medidas de proteção como a troca do EPA e remanejamento de função.

Dúvidas quanto ao uso do EPA também foram abordadas. Esclarecemos que o EPA deve ser usado obrigatoriamente no ambiente ruidoso, cabendo à empresa, tomar medidas como advertência, suspenção e até demissão por justa causa se o trabalhador oferecer resistência quanto ao seu uso constante.

O objetivo da palestra foi trazer conhecimento quanto à importância da prevenção auditiva para qualidade de vida e de trabalho dentro da empresa.

Demais dúvidas podem ser esclarecidas por meio do blog (em comentários) e pelo e-mail: fonordi@gmail.com

 

 

 


Níveis de ruído elevados no setor da Construção Civil

maio 12, 2011

Atualmente, a construção civil ocupa papel de destaque no mercado já que é responsável pelo desenvolvimento de toda a infraestrutura do país nas áreas de habitação, indústria, obras públicas e viárias. Devido a isso, esse setor é responsável pelo alto índice de geração de empregos nas diversas classes sociais da população.

Embora haja um crescimento constante no setor da construção civil, há muito a ser feito no campo da Saúde Ocupacional, pois os trabalhadores, muitas vezes, estão expostos à condições inadequadas de trabalho nos canteiros de obras e demais ambientes laborais.

As condições de trabalho  promovem situações de risco em vários setores. Entre eles está o alto índice de ruído a que os trabalhadores estão expostos. Equipamentos como betoneiras, bate-estacas e serras circulares possuem elevado índice  de emissão de ruídos. Uma betoneira emite  em média 90dB; uma serra circular, emite em média 102dB e uma bate estaca, de 96dB a 101dB. Todas essas máquinas ultrapassam os 85dB de limite de tolerância estipulado pela NR7 para 8 horas diárias de atividade laborativa. Contudo, o trabalhador pode desenvolver uma Perda Auditiva Ocupacional se não forem tomadas as devidas medidas preventivas.

É alto o índice de acidentes de trabalho na construção civil, pois as atividades envolvem o manejo de máquinas e ferramentas, instalações elétricas, uso de veículos automotores e exposição em alturas. Uma perda auditiva pode acarretar um acidente de trabalho em qualquer uma dessas atividades, pois como já sabemos, o indivíduo com perda de audição torna-se desatento e tem dificuldades em ouvir chamados e sons de alerta. A Perda Auditiva Ocupacional progride lentamente e o indivíduo pode não notar que está com problemas de audição quando ela está em seu início. Os sintomas, como dificuldades em ouvir, zumbido, estresse e desatenção serão percebidos em um estágio mais avançado da alteração. Por isso, é fundamental que a perda auditiva seja diagnosticada precocemente.

Dessa forma, surge a extrema necessidade em se implementar um Programa de Conservação Auditiva nas empresas de construção civil. O uso de EPI adequado (protetor auditivo), além de medidas de prevenção coletivas são de fundamental importância, pois garantem a Saúde Auditiva e estabelecem condutas adequadas para os casos em que já foram detectadas as  perdas auditivas ocupacionais e não ocupacionais.

Lembrando que o Programa de Conservação Auditiva pode contribuir significativamente com a produtividade da empresa, pois evita afastamentos e reclamatórias trabalhistas,  além de proporcionar melhor qualidade de vida ao trabalhador.

Fernanda Nordi – fonoaudióloga – CRFa. 9832


Benefícios da implantação do Programa de Conservação Auditiva

abril 15, 2011

Atualmente, cresce significativamente a fiscalização dentro das empresas quanto à necessidade de se implantar o Programa de Conservação Auditiva.

Para que se possa realizar a prevenção e o acompanhamento da Saúde Auditiva do trabalhador, não basta que se realize apenas as audiometrias. É por meio do Programa de Conservação Auditiva (PCA)  que se pode traçar medidas preventivas para proteger o indivíduo de riscos a que estão expostos na empresa no que diz respeito à sua audição.

Seleção do uso de protetor auditivo adequado

Dentre as medidas adotadas pelo PCA estão: monitoramento da exposição a que estão expostos; acompanhamento dos exames audiométricos realizados; seleção dos protetores auditivos mais adequados para cada setor e função; uso correto e higienização dos protetores; orientações e palestras aos funcionários quanto à Saúde Auditiva; melhorias e adequações que se fizerem necessárias com base nos dados colhidos.

São muitos os benefícios adquiridos com a implantação de um Programa de Conservação Auditiva na empresa.  Como benefícios do PCA ao empregado, podemos citar:

-prevenção do desenvolvimento da Perda Auditiva Ocupacional

-possibilidade de intervenção precoce, caso seja detectada uma possível perda auditiva ocupacional e não ocupacional

-redução de impactos relacionados à exposição ao ruído intenso, como estresse, nervosismo e dasatenção

-melhor desempenho no exercício de sua função

- disponibilidade para o mercado, já que um funcionário com a audição preservada tem maiores chances de admissão em novas empresas e novos cargos.

-mobilidade de poder exercer diversas funções dentro da mesma empresa

-manutenção da saúde e melhoria da qualidade de vida

Quanto aos benefícios trazidos pelo PCA ao empregador, citamos:

-aumento da produtividade na empresa, já que funcionários com uma audição saudável se torna mais atento e com isoo, produz mais

-diminuição do índice de acidentes de trabalho, pois sabemos que a perda auditiva causa desatenção  e estresse, fazendo com que o trabalhador sofra mais riscos

-melhoria da imagem da empresa

-versatilidade na empresa, pois a mobilidade dos funcionários para exercer diversas funções, evita ter que se fazer novas contratações

-diminuição das reclamatórias trabalhistas, reduzindo  gastos com afastamentos e indenizações

Cabe aqui ressaltar que, a implantação do PCA, atende as exigências da NR7 – Portaria 19, de 9 de abril de 1998.

Para tanto, inicie o mais rápido possível a implantação do Programa de Conservação Auditiva em sua empresa, evitando multas e advertências por parte da fiscalização.


Orientações quanto ao uso do headset em empresas de telemarketing

março 28, 2011

Já sabemos que empresas de call center tem ocupado um enorme espaço no mercado de trabalho e com isso, cresce o número de profissionais nesta área, com ênfase para contratação de operadores de telemarketing.

Profissional usando headset

Durante  a contratação, estes profissionais passam por um treinamento que inclui orientações quanto à importância da comunicação e da audição para realização de seu trabalho, incluindo orientações quanto ao uso do headset.

No entanto, ao realizar os exames periódicos de audiometria, pude constatar que tais profisionais não estão seguindo as orientações adequadas, principalmente em se tratando do uso do headset.

Este equipamento pode causar danos irreversíveis para a audição se não for usado corretamente.

As principais orientações a serem seguidas estão relacionadas ao aumento do volume do equipamento e à troca de orelha constantemente.

Ao realizar anamnese inicial, constatei que os  operadores de telemarketing não realizam a troca de orelha do headset, que deve

Headset usado em call centers

 ser realizada a cada 1 hora. Muitos dizem que não realizam a troca por costume e maior conforto com determinada orelha ou por terem a sensação de ouvirem melhor de um lado em relação ao outro. O uso excessivo do headset em apenas uma orelha, pode causar fadiga auditiva no lado usado e como consequência, trazer a perda auditiva.

A maioria refere que costuma aumentar o volume do headset para poder ouvir melhor o cliente, visto que normalmente, o ambiente de trabalho mostra-se bastante ruidoso.

Tais descuidos podem prejudicar a audição deste profissional, comprometendo a qualidade de seu trabalho e trazendo alterações auditivas que podem infuenciar sua vida cotidiana. 

É preciso conscientizar os operadores de telemarketing por meio de palestras realizadas por fonoaudiólogos, com relação ao uso correto do headset. É de fundamental importância que estes profissionais sejam supervisionados e que haja um controle rígido quanto às medidas preventivas em relação à Saúde Auditiva.

As palestras de orientação feitas por fonoaudiólogos devem ser feitas periodicamente para manter estes profissionais conscientes no que diz respeito às implicações que o uso inadequado pode causar para audição.

É necessário que as empresas de call center invistam em Programas Preventivos de forma bastante rígida, evitando assim reclamatórias trabalhistas e proporcionando aos seus profissionais uma melhor qualidade de comunicação.


Avaliação vocal em operadores de telemarketing

março 9, 2011

Anteriormente, abordei a importância do exame audiométrico a ser realizado em operadores de telemarketing. Venho agora, enfatizar a necessidade de se realizar avaliação vocal nesses profissionais.

O uso intermitente da voz e a repetição dos textos no exercicio profissional do telemarketing, ao usar o telefone ou head set, pode acarretar alterações vocais  prejudicando desta forma, sua saúde e sua performance no trabalho.

Em campanhas dentro de empresas de telemarketing, é comum ouvirmos de teleoperadores queixas com relação ao aparato vocal, tais como: cansaço ao falar, irritação e dores de garganta, rouquidão e pigarro e tensões na região do pescoço e estresse, principalmente após o turno de trabalho.

O ambiente de trabalho a que estão expostos os teleoperadores, favorece ainda mais o aumento de queixas vocais.

Operadores trabalhando em ambiente com competição sonora

 Normalmente, os teleoperaodres trabalham todos em uma mesma sala, o que promove intensamente a competição sonora, fazendo com que tenham que aumentar a intensidade vocal para se fazerem entender ao telefone. O uso de ar condicionado nas salas promove ressecamento na região da garganta, aumentando as chances de uma patologia vocal.

Para tanto, é extremamente importante que estes profissionais passem por uma triagem  e sigam as orientações quanto à higiene vocal. Em casos de alterações, os teleoperadores devem ser encaminhados para o profissional adequado.

Realização de campanha sobre Saúde vocal em empresa de telemarketing

É de fundamental importância que os profissionais que usam a voz como instrumento de trabalho, tenham consciência de como sua voz é produzida e dos danos que o abuso vocal pode causar. O conhecimento de seu aparato vocal faz com que haja um aumento dos cuidados com a voz e incentiva tais profissionais a realizarem os exercícios de aquecimento vocal estipulados pelo fonoaudiólogo.

O fonoaudiólogo passa orientações como uso da postura e respiração correta, além de técnicas de relaxamento que podem ajudar no dia a dia. Os exercícos de aquecimento vocal ajudam o profissional a iniciar seu turno de trabalho com uma qualidade de voz adequada, evitando assim, os abusos vocais.

Em empresas de telemarketing onde a avaliação vocal é implantada, houve redução de queixas vocais e com isso, reduziu-se também, o número de afastamentos devido à sintomas ligados à voz.

A avaliação vocal dentro das empresas de telemarkeitng deve ser realizada periodicamente, em curto espaço de tempo (pelo menos a cada 6 meses) já que as alterações vocais podem ocorrer repentinamente.

É necessário que se implante um Programa de Conservação vocal enfatizando os seguintes aspectos relacionados:
•Avaliação vocal;
•Preparação do ambiente: Atendimento no local; observação do espaço físico,   adequação do local de trabalho;
•Treinamento: Cuidados com o corpo; cuidados com o uso de fone de ouvido;
• Palestra:
•Conscientização quanto ao mecanismo de produção Vocal;             
•Expressividade da voz;
•Hábitos Vocais inadequados;
•Higiene vocal
•Treinamento da fala;
•Orientações sobre como usar a entonação e a prosódia vocais;
•Dicas de conservação vocal;
Visto que a voz é o instrumento de trabalho destes profissionais, é imprescindível que estes estejam capacitados para realizarem seu trabalho de forma eficaz. Profissionais do telelmarketing que apresentem uma boa articulação na fala e uma qualidade vocal adequada, desempenham seu trabalho de uma forma mais efetiva. Com isso, a empresa se torna mais produtiva e o teleoperador mais satisfeito com seu papel dentro dela.


Realização de exames audiométricos periódicos dentro das empresas: benefícios e recomendações

março 1, 2011

É  crescente a demanda por parte das empresas, em se contratar medicinas do trabalho para realização de diversos exames complementares a serem realizados na própria empresa e, em especial, a realização de audiometrias.

A procura por esse tipo de atendimento cresce, pois o serviço realizado internamente traz inúmeros benefícios à empresa contratante. Normalmente, os exames são realizados respeitando o turno de cada setor, o que contribui para

Equipe realizando exames complementares dentro da empresa

 que todos os funcionários daquele turno realizem os exames. Não é necessário ter que liberar o funcionário da produção para ir até a Medicina ou laboratório realizar os exames. Muitos são solicitados a realizar os exames no dia de sua folga, fazendo com que eles percam boa parte do dia para isso. Quando vamos até a empresa, organizamos os exames por turno e com isso, todos os funcionários presentes naquele turno realizam os exames. Como não é necessário se preocupar com datas específicas e esporádicas para liberação de cada grupo de funcionários, os exames podem ser realizados em poucos dias, atendendo a todos os turnos. O trabalho realizado desta forma, torna-se mais organizado para a empresa e o custo-benefício parece compensar significativamente.

Realização de audiometria em ambiente acústico favorável

No entanto, para realização das audiometrias, empresas devem seguir algumas exigências por parte das Medicinas ou laboratórios contratados.  É necessário que se tenha o equipamento e o local adequado dentro da empresa, visando um serviço de qualidade e confiabilidade. Segue abaixo algumas recomendações a serem seguidas para que os exames de audiometria possam ser realizados com segurança, garantindo assim,  resultados confiáveis:

- as audiometrias devem ser feitas em ambientes acústicos favoráveis, afastados do ruído dos setores de produção (salas silenciosas);

- as salas devem ter espaço suficiente para a colocação da cabine acústica portátil, caso a empresa não tenha cabine disponível, além de oferecer mesa e tomadas para colocação e instalaçaõ do audiômetro;

- os trabalhadores devem estar em repouso auditivo, devendo realizar o exame, preferencialmente, antes de iniciar a jornada de trabalho, garantindo um resultado audiométrico confiável.

- as empresas devem agendar os exames audiométrico com antecedência, respeitando o vencimento dos exames e às exigências legais

Ao seguir as recomendaçôes, as empresas contribuem para a agilidade e qualidade do serviço prestado em Saúde Auditiva.

Acredito que o investimento das empresas neste tipo de atuação em Saúde do Trabalhador  oferece maior segurança, mais organização e comodidade tanto para a empresa como para os próprios trabalhadores. Além disso, os resultados são entregues com mais agilidade, já que os exames foram realizados de forma organizada e concisa.

Para tanto, fica claro, as vantagens de se contratar o serviço em Saúde do Trabalhador a ser realizado dentro da empresa e seguir as recomendações acima citadas. Isso garante que a empresa esteja sempre atualizada e organizada, evitando assim multas e reclamatórias trabalhistas.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.