Perda Auditiva Ocupacional

O ruído é, na maioria dos países, o agente nocivo de maior prevalência no ambiente de Trabalho. Trabalhadores expostos à indices elevados de ruído nas atividades laborais, podem apresentar o que chamamos de PAIR (Perda Auditiva induzida por ruído) ou Perda Auditiva Ocupacional. Também

Trabalhador usando protetor auditivo

podemos considerar Perda Auditiva Ocupacional, aquelas causadas por exposição à solventes e agentes químicos.

A norma regulamentadora no. 15, da Portaria 3.214/1978 estabeleceu que 85 dB é o limite de tolerancia para uma exposição diária de 8 horas a ruídos contínuos ou intermitentes.

A Perda Auditiva Ocupacional é irreversível, progride lentamente e é difícil detectá-la em seu estágio inicial, pois não atinge as frequencias atuantes na comunicação oral.

Para tanto, é necessário estabelecer ações de prevenção por meio do Programa de Conservação Auditiva e do gerenciamento audiométrico dos Trabalhadores periodicamente.

Nos casos de exposição a níveis elevados de pressão sonora, faz-se necessário o uso do equipamento de proteção auditiva (EPA). Os protetores auditivos podem previnir alterações da audição. Os indivíduos que não utilizam o EPA ou não fazem repouso auditivo após a jormada de trabalho, são mais suscetíveis a desenvolver a Perda Auditiva Ocupacional.

Diversos modelos de protetores auditivos a serem usados pelos trabalhadores expostos a índices elevados de pressão sonora.

Desta forma, consideramos de extrema importância, realizar um Programa de Prevenção de Perda Auditiva que está incluso no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA). Segundo estatísticas, a Perda Auditiva Ocupacional, corresponde a 15% das Doenças Ocupacionais adquiridas em uma empresa na qual trabalhadores estão expostos à ruído elevado. Para isso, é necessária, a realização do Gerenciamento audiológico dentro da empresa. A Saúde auditiva do Trabalhador é tão importante para ele, quanto para o andamento da  produtividade da empresa.

Não deixe de realizar o Gerenciamento Audiológico de sua empresa!

3 respostas para Perda Auditiva Ocupacional

  1. Iara disse:

    Parabéns pelo blog e pela matéria!
    Uma curiosidade: os ruídos contínuos dos secadores de cabelo somados ao zum zum zum das falas das clientes e funcionários de um salão de beleza excede o limite de tolerância?
    Grata,
    um abraço
    Iara

    • Muito obrigada, Iara. Bom, há diversos estudos sobre o ruído em salões de cabeleireiros. Um secador de cabelos emite um ruído que varia de 76dB a 88 dB. O limite de tolerância para exposição ao ruído é de 85dB para 8hs de jornada de trabalho. Deve-se levar em consideração inúmeros fatores, como carga horária, tipo de ruído (intermitente ou contínuo), predisposição do sujeito, entre outros. Há relatos de cabeleireiros com queixa de zumbido, e dificuldade para ouvir após a jornada de trabalho. Estudos mostram que, em alguns salões com ambiente acústico desfavorável, houve casos de perda auditiva temporária, voltando à normalidade após o repouso auditivo. De qualquer forma, não há duvidas de que a longo prazo, tal exposição ao ruído, pode prejudicar de alguma forma, a audição de cabeleireiros.
      Um grande abraço!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: